quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Agosto 2011 - 1º Dia (A Menina que Roubava Livros)

Olá desocupados(as)!!!

Depois de muito tempo sem escrever pra vocês venho trazer essa obra belíssima de Markus Zusak.



A história se passa dentro da Segunda Guerra Mundial, sendo mais específica, na Alemanha nazista.
Só de falar nisso você já entendeu que se trata de um drama.
Sim, é um drama, um drama maravilhoso que leva o leitor a simpatizar com os personagens e amá-los.
Quem narra esta história é a Morte que mesmo estando super atarefada com tantas almas pra carregar nessa guerra, conseguiu notar uma menininha, acompanhar sua vida e seus crimes.
Uma coisa interessante neste livro, é que a narradora nos dá spoilers do futuro de vários personagens. Melhor dizendo, ela não nos ilude em relação a morte e alguns acontecimentos. E mesmo sabendo o que vai acontecer, nós torcemos pra que não aconteça e às vezes não acreditamos, como em um filme triste que já assistimos e mesmo assim torcemos para que ocorra tudo bem.
Também acredito que esse acaba sendo um fator que nos prende à leitura.

Porém, é bom ressaltar que a tristeza dessa história se reserva para suas últimas páginas, e que na verdade é da vida feliz de uma criança que estamos falando. E mesmo nos fazendo chorar nos últimos capítulos, você perceberá que é uma linda, triste e no entanto, feliz história.

Gostaria de ressaltar que este livro conquistou minha atenção a partir das 40 e poucas páginas. E se tivesse desistido antes teria sido uma pena, porque ia perder uma das melhores histórias que já conheci.

Markus Zusak, é filho de alemães que viveram e lhe contaram inúmeras histórias de sua época morando na Alemanha nazista.
Ao ler A Menina que Roubava Livros conseguimos ver coisas que nunca se passou em nossas cabeças, ao pensarmos somente nos terríveis alemães da época que pensavam exatamente da mesma forma.
Vivendo com Leisel Meminger percebemos como era oprimente para muitos que não aceitavam a ideia e eram obrigados a viver de acordo com seu querido Führer.